Saúde Mental

Psicólogo Arnaldo Santtos

Amor ...

"A psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor."

(Sigmund Freud)

Possível

A partir desta semana publicarei a coluna – SUA SAÚDE MENTAL. O objetivo é expor conselhos, orientações, artigos, dicas de livros, entre outros assuntos relacionados à Psicologia, à Psicanálise e também dicas de como se deve se comportar para ter saúde mental. Não é fácil, mas é possível.

 

Desafio

Com o advento da mídia e especialmente as redes sociais é um desafio ter saúde mental, devido às incoerências e informações desconexas, que todos os dias somos bombardeados. Claro que todo comportamento é aprendido, principalmente na primeira infância – zero a seis anos -, quando a personalidade está sendo formada, mas a mídia pode ter uma influência nos comportamentos, de modo geral, da população.

 DMS-V

Irei divulgar sobre as diversas patologias catalogadas no Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais, 5ª edição ou DSM-5, produzido pela Associação Americana de Psiquiatria. Há muita polêmica sobre o critério dessa catalogação dos transtornos. O que dizem os especialistas?

  Adianto que o transtorno não é a pessoa (a pessoa é muito mais do que a doença) e ela pode ressignificar a vida, apesar da doença. 

 

Mito

Com a coluna – SUA SAÚDE MENTAL - espero contribuir para tirar um dos principais mitos sobre o trabalho dos psicólogos, ainda hoje: quem procura o trabalho do profissional seja “louco”. Pelo contrário, qualquer pessoa um dia poderá precisar do serviço e procurando, é, com certeza, uma pessoa madura intelectualmente porque tem consciência de que precisa de ajuda. Aliás,  o ter consciência de que um comportamento/pensamento está incomodando e enfrenta-lo,  é um dos sinais de saúde mental. Há ainda muita resistência das pessoas em procurar um psicólogo.

 Livro: O alienista

Afinal de contas, o que é ser louco? O livro de Machado de Assis dá as dicas, vale a pena ler.

 Vamos falar sobre depressão?

 A Organização Mundial de Saúde (OMS) sugeriu para os países membros que este ano enfocassem o tema depressão. Por que? Numa pesquisa simulada acredita-se que o ano de 2020, a principal causa de ausência no trabalho será por problemas psicossociais e a depressão será a principal causa. 

 Hoje, em algumas empresas, o transtorno já é primeira causa. Estima-se que 5% da população mundial sofra de depressão.

Você sabe qual a diferença entre depressão e tristeza? Muitas pessoas confundem os dois conceitos. 

 Tristeza é um sentimento circunstancial. Exemplo: a perda de um emprego, num divórcio, falecimento de um familiar, entre outros exemplos semelhantes. 

Esse sentimento é extremamente humano e faz parte do quotidiano das pessoas. 

 Depressão é uma psicopatologia que precisa ser diagnosticada por um psicólogo ou psiquiatra. As pessoas banalizam a doença: - Você hoje está deprimido, ou, - Hoje estou com depressão. E não é bem assim. Banalizar intensifica o problema e não ajuda na hora de procurar ajuda.

 Sinais da depressão

A depressão se caracteriza por vários sinais, dentre eles: profunda perda da autoestima; tristeza frequente e difusa. E o que difusa? Sem uma causa específica.

 

Outros sinais são: ansiedade, irritabilidade, perda da concentração, insônia e também dores no corpo, sem causa aparente.

 

O que também caracteriza a doença é quando os sinais estão mais intensos e ocorre: negligencia com a própria higiene; a pessoa apresenta déficit de memória; tem agitação difusa;  pode apresentar também ataque de pânico, ou seja, medo de ter medo; além da perda de interesse pela vida, ou seja, escola/faculdade, pelo trabalho e também em lazer.

 

O mais importante é a pessoa, ao perceber os primeiros sinais, que procure a ajuda de um psicólogo para que seja, realmente, investigado se é mesmo uma depressão, e, se confirmado, inicie uma psicoterapia imediatamente.

 

Você sabe o que é SAP?

Um dos problemas que as famílias estão vivenciando no quotidiano é a separação de casal. Quando se tem filho(s), os problemas se agravam. E como resolver essa situação? As consequências para o(s) filho(s) são piores, caso os pais não tenham maturidade para enfrentar o problema. Daí surgiu a Síndrome da Alienação Parental (SAP).

 

O termo foi designado pelo psiquiatra norte americano Richard Gardner (1985) para a situação em que a mãe ou o pai “treina” ou induz uma criança ou adolescente para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro genitor.

Arnaldo Santtos é Psicólogo Clínico CRP 15/4.132. Consultório: Rua José de Alencar, 129, Farol (atrás da Casa da Indústria), Maceió-Alagoas.

E-mail: arnaldosanttos@uol.com.br ou arnaldosanttos.psicologo@gmail.com

Telefone:  9.9351-5851

Nossos Parceiros